SP +55 11 3060 2300
RJ +55 21 2114 4444
DF +55 61 3344 0433

SP 55 11 3060 2300
RJ 55 21 2114 4440
DF 55 61 3344 0433

Facebook

Instagram

Twitter

LinkedIn

Menu
 

IMPOSSIBILIDADE DE ANTECIPAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU DE ALUNOS DOS CURSOS DE SAÚDE QUE NÃO TENHAM INTEGRALIZADO A TOTALIDADE DA CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS TEÓRICAS, AINDA QUE CUMPRIDO 75% DA CARGA HORÁRIA DOS ESTÁGIOS

COVAC SOCIEDADE DE ADVOGADOS > Publicações  > IMPOSSIBILIDADE DE ANTECIPAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU DE ALUNOS DOS CURSOS DE SAÚDE QUE NÃO TENHAM INTEGRALIZADO A TOTALIDADE DA CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS TEÓRICAS, AINDA QUE CUMPRIDO 75% DA CARGA HORÁRIA DOS ESTÁGIOS

IMPOSSIBILIDADE DE ANTECIPAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU DE ALUNOS DOS CURSOS DE SAÚDE QUE NÃO TENHAM INTEGRALIZADO A TOTALIDADE DA CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS TEÓRICAS, AINDA QUE CUMPRIDO 75% DA CARGA HORÁRIA DOS ESTÁGIOS

Dr. Daniel José de Lima Júnior advogado associado da Covac Sociedade de Advogados

Com o advento da pandemia do Covid-19, como medida de enfrentamento ao contágio e, essencialmente, prevenção ao colapso do sistema de saúde por escassez de mão-de-obra dos profissionais dessa área, o Presidente da República, por meio da Medida Provisória (MPv) n.º 934/2020 (já convertida na Lei n.º 14.040/2020) e o Ministério da Educação (MEC), por meio da Portaria Normativa n.º 383/2020, autorizaram as Instituições de Ensino Superior (IES) a antecipassem a colação de grau dos estudantes dos cursos de Medicina, Farmácia, Enfermagem, Fisioterapia e Odontologia, que tenham cumprido, ao menos, 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária destinada ao Internato ou Estágio Curricular Obrigatório para que esses estudantes, agora profissionais titulados, possam atuar na linha de frente do combate à pandemia do Novo Coronavírus.

Vale ventilar, nesse ponto, que a flexibilização trazida pela Lei 14.040/2020 e pela Portaria MEC n.º 383/2020, isto é, a possibilidade de se antecipar a conclusão dos cursos de saúde, ainda que os alunos não tenham integralizado completamente a carga horária dos estágios curriculares, é mera faculdade das IES, e não uma obrigatoriedade, de modo que cabe exclusivamente a cada instituição, no âmbito da sua autonomia universitária assegurada no artigo 207, da Constituição Federal e no artigo 53, da Lei n.º 9.394/1996 (LDB), decidir pela pertinência da antecipação da colação de grau ou se exigirão a completa integralização da carga horária.

Para além disso, é extrema importância consignar que, além de ser imprescindível que a IES adira a essa previsão normativa e opte antecipar a colação de grau, os alunos devem não apenas integralizar o mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária das disciplinas do Internato ou do Estágio Curricular Obrigatório, como também concluir integralmente a carga horária das disciplinas teóricas.

Isso porque, ainda que não seja um requisito elencado expressamente no § 2º, do artigo 3º, da Lei n.º 14.040/2020 e no artigo 1º, da Portaria MEC n.º 383/2020, tem-se que a completa integralização da carga horária das disciplinas teóricas é um requisito implícito, visto que essas disciplinas não foram objeto da excepcionalidade trazida por essas normas. Assim, para que façam jus à abreviação da colação de grau – se a IES optar por deferir essa medida –, os alunos dos cursos de saúde devem integralizar, necessariamente, 100% (cem por cento) da carga horária das disciplinas teóricas (requisito implícito) e 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária das disciplinas práticas (requisito explícito).

Até mesmo porque, tratando-se de norma excepcional, que foi criada em um cenário de igual excepcionalidade como o da pandemia do Covid-19, ampliar a sua interpretação, com vista a estender a desnecessidade de completa integralização da carga horária das disciplinas teóricas, seria no mínimo, temerário.

Acolhendo esses argumentos é que, em demanda patrocinada pela Covac Sociedade de Advogados, a desembargadora Leila Arlanch concedeu o efeito suspensivo ao recurso de agravo de instrumento n.º 0737332-90.2020.8.07.0000 (em trâmite perante a 7ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), sob sua relatoria, para obstar os efeitos de decisão proferida nos autos do processo n.º 0710004-28.2020.8.07.0020 (em trâmite na 1ª Vara Cível de Águas Claras – DF) que havia deferido, em sede de concessão de tutela provisória de urgência, a antecipação da colação de grau de uma aluna do curso de Enfermagem, visto que, apesar de ter concluído 100% (cem por cento) da carga horária das disciplinas do Estágio Curricular Obrigatório, não havia concluído em todas as disciplinas teóricas do curso.

A desembargadora, de forma irretocável, entendeu que apesar da agravada ter integralizado completamente a carga horária das disciplinas de Estágio Curricular Supervisionado, não integralizou a carga horária total das disciplinas teóricas, que não é objeto de flexibilização, nos termos da Portaria MEC n.º 383/2020 e da MPv n.º 934/2020.

Para acesso à integra da demanda:0737332-90.2020.8.07.0000 (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios)